Archives

All posts for the month April, 2020

Muitos transtornos de ansiedade se desenvolvem primeiro na infância ou adolescência. Embora alguns possam resolver, muitos persistem na idade adulta. Alguns sintomas de ansiedade estão relacionados ao desenvolvimento infantil. Por exemplo, a ansiedade de separação é normal em crianças pequenas. No entanto, quando o medo de ficar longe dos pais persiste ou interfere no desenvolvimento normal, o transtorno de ansiedade de separação é diagnosticado. A ansiedade de separação pode começar após um evento traumático, como a morte de um ente querido. No entanto, se o medo é mais sobre o trauma, e não especificamente sobre a separação dos cuidadores da criança, um distúrbio de estresse agudo ou um diagnóstico de transtorno de estresse pós-traumático podem ser mais apropriados.

transtorno de ansiedade

Mutismo seletivo refere-se à incapacidade de falar em situações sociais em que existe expectativa de falar (como a escola), mas eles ainda são capazes de falar em outros contextos. Quando esse padrão persiste e causa problemas na escola, no trabalho ou em outro desempenho, o mutismo seletivo é diagnosticado. Clinica de Psiquiatria em Brasilia

As semelhanças e diferenças nos sintomas de ansiedade em adultos em comparação com crianças e adolescentes dependem da condição específica que está causando a ansiedade. Por exemplo, sintomas de fobia social ou fobia específica são bastante semelhantes em crianças e adolescentes em comparação com adultos, exceto que crianças e adolescentes têm menos probabilidade de reconhecer que seus pensamentos ou comportamentos são irracionais. Os sintomas de ansiedade em crianças e adolescentes tendem a ser consistentes com a maneira como expressam sentimentos em geral. Por exemplo, crianças mais jovens são menos capazes de expressar sentimentos verbalmente em comparação com crianças mais velhas e, portanto, tendem a expressar ansiedade reclamando de sintomas físicos, como dores de estômago ou dores de cabeça. Psiquiatra em Brasilia. Eles também são mais propensos a chorar, ter birras ou ficar pegajosos. Em contraste com as crianças mais novas, os adolescentes tendem a expressar sintomas de ansiedade de maneira semelhante aos adultos. No entanto, é mais provável que os adolescentes exibam ansiedade do que adultos, ficando irritados ou com raiva. Os adolescentes ansiosos também têm maior probabilidade de apresentar grandes variações de humor, do normal para o ansioso, zangado e irritável.

Ansiedade em homens e mulheres

Os transtornos de ansiedade são diagnosticados em mulheres duas vezes mais que nos homens. É difícil determinar se as mulheres são mais suscetíveis a transtornos de ansiedade ou se os homens têm menos probabilidade de reconhecer ou relatar sintomas e, portanto, são diagnosticados com menos frequência. Da mesma forma, diferenças em como homens e mulheres experimentam ou reconhecem sintomas de ansiedade também podem influenciar o diagnóstico de transtorno de ansiedade. Psiquiatra Brasilia

Estudos indicam que os homens parecem experimentar efeitos da ansiedade de maneira diferente em comparação às mulheres. Especificamente, os homens tendem a exibir mais sintomas psicológicos de ansiedade, como tensão, irritabilidade e uma sensação de destruição iminente. Por outro lado, as mulheres tendem a desenvolver mais sintomas físicos como dor no peito, palpitações, insônia, falta de ar e náusea. Além disso, parece que as mulheres com tais sintomas físicos de ansiedade correm mais risco de desenvolver problemas cardíacos.

ansiedade pode ser descrita como a resposta a uma ameaça futura ou possível. A ansiedade está intimamente relacionada ao medo, que é a resposta a uma ameaça imediata real ou percebida. O medo e a ansiedade são respostas evoluídas normais em humanos e animais, e as respostas físicas estão ligadas ao sistema de “luta ou fuga”. O sistema nervoso autônomo controla a resposta de luta ou fuga no corpo, e essa resposta geralmente inclui dilatação das pupilas nos olhos, aumento da freqüência cardíaca e aumento da respiração / respiração. As respostas de ansiedade podem incluir maior vigilância (prestando atenção ao ambiente) e tensão muscular. A ansiedade pode ser construtiva, como melhorar o desempenho em um teste, evento esportivo ou falar em público. Embora sejam respostas normais e frequentemente respostas úteis ao perigo, a ansiedade pode causar problemas quando é ativada com muita facilidade, não é desativada quando o perigo está ausente ou quando a resposta é muito forte. Ansiedade excessiva que causa sofrimento ou prejuízo, que interfere na função normal ou evita atividades importantes e pessoas na vida, é considerada um distúrbio de ansiedade.

ansiedade

Quais são os tipos de transtornos de ansiedade?

Os transtornos de ansiedade são diferenciados com base no tipo de objeto ou situação que causa medo, ansiedade ou evitação, bem como nos padrões de pensamento associados ao medo ou à ansiedade. Para ser considerado um transtorno de ansiedade, o medo ou ansiedade também deve ser persistente (durando geralmente seis meses ou mais), e não uma fase normal de desenvolvimento (por exemplo, uma criança com medo de ficar longe dos pais). Os transtornos de ansiedade geralmente começam na infância, mas persistem na idade adulta. Psiquiatra Taguatinga

Os transtornos de ansiedade mais comuns são fobias específicas. Fobias específicas são um medo excessivo de um objeto ou situação específica, como aranhas (aracnofobia), alturas (acrofobia), voo ou espaços fechados (claustrofobia). A maioria das pessoas sabe que seus medos (fobias) são excessivos, mas geralmente se sentem impotentes para controlá-los. Às vezes, uma fobia pode começar após um evento traumático (por exemplo, ficar preso em um espaço pequeno; ver alguém ferido por um animal), mas os sintomas estão relacionados ao medo e não relacionados à re-experiência do trauma (por exemplo, o os sintomas não se encaixam melhor no diagnóstico de transtorno de estresse pós-traumático.

No transtorno de ansiedade social (fobia social ou ansiedade de desempenho), as pessoas são excessivamente amedrontadas ou preocupadas com interações ou situações sociais que podem envolver serem observadas ou examinadas. A autoconsciência de ser observada pelos outros ou de se apresentar na frente dos outros é normal. No entanto, a ansiedade social é muito mais extrema e atrapalha a realização de atividades normais (e muitas vezes necessárias) com sucesso. A fobia social pode estar limitada a situações de desempenho (como falar, cantar, atuar etc. na frente de outras pessoas) ou pode ser mais geral e relacionada a muitas (ou todas) situações em torno de outras pessoas. Psiquiatra Brasilia

transtorno de ansiedade generalizada (TAG) é caracterizado por ansiedade persistente e excessiva e se preocupa com muitas áreas diferentes que são difíceis de controlar. Outros transtornos de ansiedade incluem transtorno de ansiedade de separação, mutismo seletivo, agorafobia (medo de ficar fora de casa em várias situações) e transtorno do pânico (ataques de pânico recorrentes inesperados e medo de ter mais ataques de pânico).

Quais são os sintomas e sinais de ansiedade?

Sintomas e sinais comuns de transtorno de ansiedade podem incluir:

  • inquietação ou nervosismo;
  • cansar-se facilmente, fadiga;
  • problemas de concentração, que também podem aparecer como problemas de memória ou atenção;
  • sentindo como se a mente estivesse “em branco”;
  • irritabilidade;
  • tensão muscular;
  • dores de cabeça;
  • problemas de sono (problemas para adormecer ou dormir sem descanso).

A ansiedade associada a medos específicos (fobia específica ou simples) ou social (fobia social) também pode resultar em evitar certas situações ou elevar os sintomas para desencadear um ataque de pânico. Psicologa Brasilia

Os ataques de pânico são episódios repentinos de intenso medo e/ou desconforto físico que atingem um pico em minutos. Sinais e sintomas específicos de ataques de pânico incluem sintomas físicos e emocionais, como:

  • palpitações (sensação de batimentos cardíacos rápidos e / ou irregulares);
  • dor no peito, aperto no peito ou outro desconforto, sentindo como se estivesse tendo um ataque cardíaco;
  • falta de ar ou dificuldade em respirar;
  • sudorese das palmas das mãos;
  • náusea ou outra dor de estômago;
  • tremendo ou tremendo;
  • sentir-se tonto, instável, tonto ou fraco;
  • desrealização (sentimentos de irrealidade) ou despersonalização (sentimento desapegado de si mesmo);
  • medo de perder o controle ou ficar louco;
  • sensação de dormência ou formigamento;
  • calafrios ou ondas de calor;
  • sentindo como se estivesse sufocando;
  • uma sensação de destruição iminente;
  • sentindo como se estivesse morrendo.

O que é atropina e como funciona (mecanismo de ação)?

A atropina ocorre naturalmente e é extraída dos alcaloides da beladona contidos nas plantas. A atropina bloqueia a ação da acetilcolina, um neurotransmissor que causa a contração de dois tipos de músculos, músculos lisos e cardíacos. Também tem outros efeitos neurológicos. Atropina oftálmica é usada durante exames oftalmológicos para dilatar a pupilaOftalmologista Planaltina. A atropina também é usada para enfraquecer a contração dos músculos dentro dos olhos, os músculos que operam a íris e as lentes. Paralisada lente, chamada cicloplegia, resulta na perda da capacidade de focalizar a visão. A paralisia da íris (midríase) impede que a íris se ajuste ao brilho da luz que chega e afeta a capacidade de ver claramente. Em estudos clínicos, o uso de uma única administração tópica de solução oftálmica de atropina a 1% (colírio) resultou em midríase máxima (dilatação ou alargamento da pupila) em aproximadamente 40 minutos e cicloplegia máxima em aproximadamente 60 a 90 minutos. Na maioria dos casos, a recuperação completa ocorreu em aproximadamente uma semana, mas pode levar algumas semanas. O FDA aprovou a atropina em 1938.

Quais são os efeitos colaterais da atropina?

Os efeitos colaterais mais comuns relatados incluem:

  • dor nos olhos;
  • picada na administração;
  • visão borrada;
  • sensibilidade à luz;
  • diminuição da produção de lágrimas;
  • inchaço palpebral;
  • aumento da frequência cardíaca e pressão arterial se a atropina for absorvida pelo olho.

Qual é a dosagem para atropina?

  • Para induzir midríase (dilatação da pupila) ou cicloplegia em adultos: Instale 1-2 gotas de solução oftálmica a 1% no olho 1 hora antes do procedimento. Clinica de Oftalmologia em Brasilia
  • Para o tratamento de condições inflamatórias do olho (irite ou uveíte) em adultos: Instale 1-2 gotas de solução a 1% no olho até 4 vezes por dia.

Quais medicamentos ou suplementos interagem com atropina?

O uso de atropina com inibidores da monoamina oxidase (MAOI) não é recomendado devido ao risco de causar pressão arterial severamente elevada (crise hipertensiva). Exemplos de inibidores da MAOI incluem:

  • linezolida (Zyvox);
  • azul de metileno;
  • fenelzina (Nardil);
  • procarbazina (Matulane);
  • rasagilina (Azilect);
  • selegilina (Eldepryl, Zelapar, Carbex);
  • tranylcypromine (Parnate) e outros.

Os pacientes devem perguntar ao seu médico ou farmacêutico antes de usar produtos para os olhos de atropina se estiverem tomando certos medicamentos, como:

  • drogas antiarrítmicas, por exemplo, quinidina, procainamida (Procanbid), anti-histamínicos como meclizina (Antivert) ou difenidramina (Benadryl);
  • antiespasmódicos, como diciclomina (Bentil);
  • certos medicamentos utilizados para tratar a doença de Parkinson, tais como benztropina (Cogentin) ou tri-hexifenidilo (Artane);
  • antidepressivos, por exemplo amitriptilina (Endep, Elavil).

É seguro tomar atropina se estiver grávida ou amamentando?

Não existem estudos adequados e bem controlados de sulfato de atropina em mulheres grávidas. Oftalmologista Brasilia

Pequenas quantidades de atropina foram detectadas no leite humano após a administração de atropina injetável. As preparações oftálmicas de atropina são compatíveis com a amamentação.

Que preparações de atropina estão disponíveis?

Solução oftálmica: 1%

Como devo manter a atropina armazenada?

A solução oftálmica de atropina pode ser armazenada na geladeira ou à temperatura ambiente, longe do calor e da luz.

Níveis de hormônio do apetite podem influenciar o retorno do peso

Alguns dietistas podem ter mais chances de recuperar o excesso de peso que perderam, dependendo de sua composição hormonal.

Uma certa combinação de hormônios do apetite, leptina e grelina, parece predispor algumas pessoas ao ganho de peso após uma dieta.

A conexão entre hormônios do apetite, como grelina e leptina, e complicações de longo prazo para a perda de peso, decorre do trabalho com 104 homens e mulheres obesos e com sobrepeso, todos embarcados em uma dieta de oito semanas e com baixas calorias.

dieta endocrinologista

Conclusão: aqueles com níveis mais altos de leptina e grelina antes da dieta tinham maior probabilidade de recuperar o peso perdido após o término da dieta. Endocrinologista Brasilia

Acredita-se que esta pesquisa possa indicar que o resultado da terapia com pesos pode ser pré-condicionado,

As descobertas podem fornecer aos profissionais de endocrinologia e nutrição uma ferramenta para identificar indivíduos que precisam de programas especializados de perda de peso que visem primeiro os níveis de hormônio do apetite antes de iniciar o tratamento dietético convencional.

E, embora observando que “o sucesso a longo prazo de manter o peso perdido geralmente é ruim”, é sugerido que as observações atuais “poderiam ser usadas como uma ferramenta para personalizar programas de perda de peso que garantissem sucesso em evitar o peso”.

Quais dietas ajudam a manter o peso de voltar?

Enquanto você fica agachado esperando que o coronavírus diminua, você pode se inspirar para perder peso. Mas qual dieta é melhor? A resposta curta é que todas as dietas parecem funcionar. A resposta longa é que você provavelmente recuperará o peso dentro de um ano.

“Não existe uma dieta que de alguma forma ajude a manter o peso magicamente”. Siga qualquer dieta que você goste, e você perderá peso e diminuirá a pressão arterial e os níveis de colesterol. Isso reduz o risco de doenças cardíacas, incluindo ataque cardíaco e derrame, desde que você mantenha o peso. Endocrinologista Florianopolis

Mas é mais fácil falar do que fazer, e à medida que os números na escala aumentam, os benefícios em termos de risco de doença cardíaca desaparecem.

Tanto a dieta DASH quanto a mediterrânea são ricas em frutas, vegetais e grãos integrais, nozes, legumes e peixe, e com baixo teor de açúcar, gordura e carne vermelha. Eles são frequentemente apontados como saudáveis para o coração, mas foi concluído que não está claro se eles provaram reduzir o risco de doenças cardíacas e derrames.

Durante seis meses, as pessoas que seguiram dietas com baixo teor de carboidratos e baixo teor de gordura perderam em média 9 a 11 libras, e a pressão arterial também diminuiu, descobriram os investigadores.

Mas nenhuma das dietas melhorou os níveis de colesterol “bom” (HDL) ou diminuiu os níveis de proteína C reativa, que está ligada a doenças cardíacas. Após um ano, as pessoas de todas as dietas estudadas recuperaram peso e perderam qualquer benefício à saúde do coração. Aqueles na dieta mediterrânea, no entanto, mantiveram um pequeno benefício no colesterol.

Com base nessas descobertas, você pode esperar a mesma perda de peso inicial em qualquer uma das dietas – portanto, qual você escolhe é realmente uma questão de preferência pessoal.

As dietas, pelos padrões atuais, não funcionam. Por trabalho, quero dizer um estilo de vida sustentável que promove um peso saudável e atende às necessidades nutricionais do indivíduo. As dietas da moda são temporárias, geralmente muito restritivas e pouco realistas. Endocrinologista Taguatinga

“O ambiente em que vivemos não promove uma vida saudável e é difícil para muitos resistir às tentações de conveniência e fast food”.

Uma dieta mais baseada em vegetais de alimentos caseiros e menos processados – em outras palavras, uma abordagem do tipo mediterrâneo – pode ajudar as pessoas a diminuir o risco de doenças crônicas, gerenciar o peso e aumentar a energia.

“Precisamos nos controlar e enfrentar o fato de que uma dieta constante de alimentos rápidos, lixo e preparados não é saudável”.

E, cuidado: você pode ganhar peso comendo qualquer coisa – até mesmo alimentos saudáveis -, por isso, porções e atividades físicas importam. “Podemos ficar complacentes com o tempo, começar a comer um pouco mais, com porções um pouco maiores de comida, ser menos ativos”. “E, com o tempo, essas pequenas alterações podem resultar em ganho de peso lento “.

OtorrinoO que é um distúrbio de equilíbrio?

Um distúrbio de equilíbrio é uma condição que faz você se sentir instável ou tonto, como se estivesse se movendo, girando ou flutuando, mesmo estando parado ou deitado. Os distúrbios do equilíbrio podem ser causados por certas condições de saúde, medicamentos ou um problema no ouvido interno ou no cérebro.

Nosso senso de equilíbrio é controlado principalmente por uma estrutura semelhante a labirinto no ouvido interno chamada labirinto, que é feita de ossos e tecidos moles. Em uma extremidade do labirinto, há um intrincado sistema de loops e bolsas, chamados canais semicirculares e órgãos otolíticos, que nos ajudam a manter o equilíbrio. No outro extremo, há um órgão em forma de caracol chamado cóclea, que nos permite ouvir. O termo médico para todas as partes do ouvido interno envolvidas no equilíbrio é o sistema vestibular.

Como funciona o sistema vestibular?

Nosso sistema vestibular trabalha com outros sistemas sensório-motores no corpo, como o sistema visual (olhos) e o sistema esquelético (ossos e articulações), para verificar e manter a posição do corpo em repouso ou em movimento. Também nos ajuda a manter um foco constante nos objetos, mesmo que a posição do nosso corpo mude. O sistema vestibular faz isso detectando forças mecânicas, incluindo a gravidade, que agem sobre nossos órgãos vestibulares quando nos movemos. Duas seções do labirinto nos ajudam a realizar essas tarefas: os canais semicirculares e os órgãos otolíticos. Otorrino Ceilandia

Os canais semicirculares são três voltas cheias de fluido dispostas aproximadamente em ângulo reto entre si. Eles dizem ao cérebro quando nossa cabeça se move de maneira rotativa ou circular, como quando balançamos a cabeça para cima e para baixo ou olhamos da direita para a esquerda.

Cada canal semicircular tem uma base rechonchuda, que contém uma estrutura em forma de gota de chuva preenchida com uma substância semelhante a gel. Essa estrutura, chamada cúpula, fica no topo de um aglomerado de células sensoriais, chamadas células ciliadas. As células ciliadas possuem longas extensões semelhantes a fios, chamadas estereocilia, que se estendem para o gel. Quando a cabeça se move, o fluido dentro do canal semicircular se move. Esse movimento faz com que a cúpula se dobre e os estereocílios dentro dela se inclinem para um lado. A ação de inclinação cria um sinal que viaja para o cérebro, informando o movimento e a posição da cabeça. Otorrino Taguatinga

Entre os canais semicirculares e a cóclea, estão os órgãos otolíticos, que são duas bolsas cheias de líquido chamadas utrículo e sáculo. Esses órgãos informam o cérebro quando nosso corpo está se movendo em linha reta, como quando nos levantamos ou andamos de carro ou de bicicleta. Eles também informam ao cérebro a posição de nossa cabeça em relação à gravidade, como estar sentado, recostado ou deitado.

Assim como os canais semicirculares, o utrículo e o sáculo têm células ciliadas sensoriais. Essas células ciliadas revestem o fundo de cada bolsa e seus estereocílios se estendem para uma camada semelhante a gel. No topo do gel há pequenos grãos feitos de carbonato de cálcio chamados otoconia. Quando você inclina a cabeça, a gravidade puxa os grãos, que então movem a estereocilia. Como nos canais semicirculares, esse movimento cria um sinal que informa ao cérebro a posição da cabeça. Otorrino DF

Nosso sistema visual trabalha com nosso sistema vestibular para impedir que os objetos embaçam quando nossa cabeça se move e para nos manter conscientes de nossa posição quando caminhamos ou quando andamos em um veículo. Os receptores sensoriais em nossas articulações e músculos também nos ajudam a manter o equilíbrio quando paramos ou andamos. O cérebro recebe, interpreta e processa as informações desses sistemas para controlar nosso equilíbrio.

Quais são os sintomas de um distúrbio do equilíbrio?

Se seu equilíbrio estiver prejudicado, você pode sentir como se a sala estivesse girando. Você pode cambalear ao tentar andar ou balançar ou cair ao tentar se levantar. Alguns dos sintomas que você pode ter são:

  • Tontura ou vertigem (sensação de rotação);
  • Caindo ou sentindo como se fosse cair;
  • Tontura, desmaio ou sensação de flutuação;
  • Visão embaçada;
  • Confusão ou desorientação.

Outros sintomas são náusea e vômito, diarreia, alterações na frequência cardíaca e pressão arterial e medo, ansiedade ou pânico. Algumas pessoas também se sentem cansadas, deprimidas ou incapazes de se concentrar. Os sintomas podem ir e vir por curtos períodos ou durar por períodos mais longos.

O que causa um distúrbio do equilíbrio?

Um distúrbio de equilíbrio pode ser causado por infecções virais ou bacterianas no ouvido, um ferimento na cabeça ou distúrbios da circulação sanguínea que afetam o ouvido interno ou o cérebro. Muitas pessoas experimentam problemas com seu senso de equilíbrio à medida que envelhecem. Problemas de equilíbrio e tontura também podem resultar do uso de certos medicamentos.

Além disso, problemas nos sistemas visual e esquelético e no sistema nervoso e circulatório podem ser a fonte de alguns problemas de postura e equilíbrio. Um distúrbio do sistema circulatório, como pressão arterial baixa, pode levar a uma sensação de tontura quando subitamente nos levantamos. Problemas nos sistemas esqueléticos ou visuais, como artrite ou desequilíbrio dos músculos oculares, também podem causar problemas de equilíbrio. No entanto, muitos distúrbios do equilíbrio podem começar de repente e sem causa óbvia.

Quais são alguns tipos de distúrbios do equilíbrio?

  • A labirintite é uma infecção ou inflamação do ouvido interno que causa tontura e perda de equilíbrio. Frequentemente está associado a uma infecção respiratória superior, como a gripe.
  • A doença de Ménière está associada a uma mudança no volume de líquidos dentro de partes do labirinto. A doença de Ménière causa episódios de vertigem, perda auditiva irregular, zumbido (zumbido ou zumbido no ouvido) e sensação de plenitude no ouvido. A causa desta doença é desconhecida.
  • A neuronite vestibular é uma inflamação do nervo vestibular e pode ser causada por um vírus. Seu principal sintoma é vertigem.
  • A fístula perilinfa é um vazamento de líquido do ouvido interno no ouvido médio. Pode ocorrer após uma lesão na cabeça, mudanças drásticas na pressão atmosférica (como no mergulho), esforço físico, cirurgia no ouvido ou infecções crônicas no ouvido. Seu sintoma mais notável, além de tonturas e náuseas, é a instabilidade ao caminhar ou ficar em pé, que aumenta com a atividade e diminui com o repouso. Alguns bebês podem nascer com fístula perilinfa, geralmente associada à perda auditiva presente no nascimento.
  • A síndrome do mal de descarte (MdDS) é um distúrbio de equilíbrio no qual você se sente como se estivesse balançando ou balançando continuamente. Geralmente acontece após um cruzeiro oceânico ou outras viagens marítimas. Geralmente, os sintomas desaparecem em questão de horas ou dias após a chegada à terra. No entanto, casos graves podem durar meses ou até anos.

O que são Hemorroidas?

Hemorroidas são aglomerados de vasos sanguíneos dilatados (aumentados) no orifício inferior. O retossigmoide é a última área do intestino grosso antes de sair para o orifício inferior. O orifício inferior é o fim do trato digestivo, onde as fezes deixam o corpo.

hemorroida

Às vezes, as hemorroidas incham quando as veias aumentam e suas paredes ficam esticadas, finas e irritadas ao passar as fezes. As hemorroidas são classificadas em duas categorias gerais:

  • interno, originário do retossigmoide;
  • externo, originário do orifício inferior.

Hemorroidas (também denominadas pilhas) causaram dor e irritação ao longo da história humana. A palavra vem do grego “haimorrhoides“, que significa veias que são capazes de descarregar sangue. Se você já sofreu de hemorroidas, não está sozinho. Estima-se que três em cada quatro pessoas tenham hemorroidas em algum momento de suas vidas. Até Napoleão sofria de hemorroidas, o que o distraía com fortes dores durante sua derrota em Waterloo.

Sintomas da Hemorroida Aumentada

Hemorroidas aumentadas estão associadas com sintomas tipo:

  • comichão;
  • descarga de muco;
  • queimando no orifício inferior;
  • dor forte;
  • uma sensação de que o intestino não está realmente vazio;
  • sangrando sem dor.

Hemorroidas Internas

As hemorroidas internas ficam no revestimento interno do retossigmoide e não são óbvias, a menos que sejam substancialmente aumentadas; nesse caso, elas podem ser sentidas. Hemorroidas internas são geralmente indolores e se tornam aparentes porque causam sangramento inferior com evacuação.

Às vezes, as hemorroidas internas prolapsam para fora do orifício inferior. Nesse caso, você poderá vê-los ou senti-los como manchas úmidas da pele, mais rosadas que a área circundante. Essas hemorroidas caídas podem doer porque o orifício inferior é denso com os nervos sensíveis à dor. Tais hemorroidas escorregadas geralmente recuam para o retossigmoide por conta própria. Caso contrário, eles podem ser gentilmente empurrados de volta ao lugar. Proctologista BH

Hemorroidas Externas

As hemorroidas externas estão localizadas abaixo da pele que circunda o orifício inferior e são mais baixas que as hemorroidas internas. Eles podem ser sentidos quando incham e podem causar:

  • Comichão;
  • dor;
  • sangramento com evacuação.

Se uma hemorroida externa prolapsar para o exterior (geralmente durante a passagem de uma fezes), você poderá ver e sentir.

Às vezes, coágulos sanguíneos se formam dentro desse tipo de hemorroida caída, o que pode causar uma condição extremamente dolorosa chamada trombose. Se uma hemorroida se tornar trombosada, pode parecer um pouco assustadora, ficando roxa ou azul, e pode sangrar.

Apesar de sua aparência, as hemorroidas trombosadas geralmente não são graves, embora possam ser muito dolorosas. Eles resolverão por conta própria em algumas semanas. Se a dor é insuportável, seu médico geralmente pode remover o coágulo sanguíneo da hemorroida trombosada, que interrompe a dor

Quem são os afetados pelas Hemorroidas?

Embora a maioria das pessoas pense que as hemorroidas são anormais, quase todo mundo as possui. Hemorroidas ajudam a controlar os movimentos intestinais. Hemorroidas causam problemas e podem ser consideradas anormais ou uma doença apenas quando os grupos hemorroidas de vasos aumentam. Colonoscopia BH

Hemorroidas ocorrem em quase todos, e cerca de 75% das pessoas experimentam hemorroidas aumentadas em algum momento. No entanto, apenas cerca de 4% irá a um médico devido a problemas de hemorroidas. Hemorroidas que causam problemas são encontradas igualmente em homens e mulheres, e sua prevalência atinge um pico entre 45 e 65 anos de idade.

O que pode causar as Hemorroidas?

Hemorroidas são causadas por inchaço nas veias inferiores. Isso os torna suscetíveis à irritação. Esse inchaço pode ser causado por várias coisas, incluindo:

  • obesidade;
  • gravidez;
  • em pé ou sentado por longos períodos;
  • forçando o banheiro;
  • constipação crônica ou diarreia;
  • comer uma dieta pobre em fibras;
  • tosse;
  • espirros;
  • vômitos;
  • prender a respiração enquanto se esforça na prática de algum trabalho físico.

Como os alimentos influenciam as hemorroidas?

Acredita-se que a dieta tenha um grande impacto em causar e prevenir hemorroidas. Pessoas que consistentemente comem uma dieta rica em fibras são menos propensas a sofrer hemorroidas, enquanto aquelas que preferem uma dieta rica em alimentos processados enfrentam um risco maior de hemorroidas.

Uma dieta pobre em fibras pode deixá-lo constipado, o que pode contribuir para as hemorroidas de duas maneiras. Por um lado, promove a pressão no vaso sanitário. Também agrava as hemorroidas, produzindo fezes duras que irritam ainda mais as veias inchadas. Endocrinologista Brasilia

Sangramento indolor

O sintoma mais comum das hemorroidas é o sangramento indolor. Uma pessoa que sofre de hemorroidas pode notar sangue vermelho brilhante do lado de fora das fezes, no papel higiênico ou pingando no banheiro.

O sangramento geralmente se resolve sem tratamento. No entanto, o sangramento retossigmoidal com evacuação nunca é normal e deve levar a uma visita a um profissional de saúde. Embora as hemorroidas sejam a causa mais comum de sangramento com evacuação, pode haver outros motivos para sangrar, incluindo os seguintes exemplos:

  • doença inflamatória intestinal;
  • problemas de coagulação do sangue;
  • fístulas e/ou fissuras (passagens anormais entre um órgão oco e a superfície do corpo);
  • infecção;
  • tumores.

Olhos Vermelhos ou Conjuntivite também podem ser sintomas de Coronavírus

Além de causar o COVID-19, o novo coronavírus também pode levar à conjuntivite, e pesquisadores chineses dizem que o vírus pode se espalhar por lágrimas. Dos 38 pacientes com COVID-19, uma dúzia também teve olho vermelho (conjuntivite), segundo um novo estudo. Em dois pacientes, o coronavírus estava presente nos fluidos nasal e ocular. “Alguns pacientes com COVID-19 apresentam sintomas oculares, e talvez novos coronavírus estejam presentes nas secreções dos olhos de pacientes com COVID-19 “, disse o pesquisador Dr. Liang, do departamento de oftalmologia da Universidade das Três Gargantas da China, em Yichang.

conjuntivite

A conjuntiva é uma camada fina e transparente de tecido que reveste a pálpebra interna e cobre parte do branco do olho. Liang disse que o coronavírus pode invadi-lo em pacientes com pneumonia grave por COVID-19. Isso significa que o vírus pode se espalhar se alguém esfregar um olho infectado e tocar em outra pessoa – ou durante um exame oftalmológico, sugeriram os autores do estudo. Quanto mais grave o COVID-19 de um paciente, maior a probabilidade de ele também ter olhos vermelhos (uma espécie de conjuntivite).

Diante dessas descobertas, médicos e enfermeiros que tratam pacientes com COVID-19 devem usar óculos de proteção, além de outras roupas de proteção, bonés e luvas. Muitas pessoas estão recomendando o uso de mascaras de acrílico, semelhanste àquelas usadas por soldadores.
Reagindo à pesquisa, um oftalmologista da cidade de Nova York disse que as pessoas devem tomar medidas para evitar os olhos rosados. Isso inclui evitar tocar nos olhos e no rosto e usar óculos em vez de lentes de contato durante o surto de coronavírus. Oftalmologista DF

“Embora a conjuntivite seja uma manifestação rara desta doença, devemos tomar todas as precauções necessárias para prevenir a conjuntivite, incluindo a lavagem frequente das mãos”, disse o Dr. Prachi Dua, oftalmologista do Hospital de Olhos, Ouvidos e Garganta de Manhattan.
“Pacientes e médicos devem estar cientes de que o COVID-19 pode se manifestar com vermelhidão ocular, inchaço e lacrimejamento”, acrescentou. “Esses pacientes devem procurar atendimento adequado para diagnóstico e prevenção adequados da transmissão”.
Dr. Alfred Sommer, professor de epidemiologia e saúde internacional na Escola de Saúde Pública Johns Hopkins Bloomberg, em Baltimore, escreveu um editorial que acompanhava o estudo. “Este é um aviso para as pessoas de que a conjuntiva pode ser uma fonte de infecção que pode se espalhar para outras pessoas”, disse ele. Isso significa que ele pode se espalhar pelas lágrimas das pessoas, um médico examinando seus olhos ou até mesmo alguém esfregando os olhos, recebendo coronavírus nos dedos e tocando outra pessoa, Sommer apontou. Ele observou que as diretrizes da Academia Americana de Oftalmologia recomendam que exames oftalmológicos regulares não sejam realizados durante a pandemia. É claro, acrescentou, emergências que podem afetar a visão ainda precisam ser tratadas imediatamente. Oftalmologista Brasilia
“As pessoas podem esperar um mês ou dois para fazer um exame oftalmológico de rotina”, disse Sommer, acrescentando: “Você pode obter um novo par de óculos prescritos a qualquer momento, não precisa fazer isso no meio de uma epidemia”.

Sintomas da conjuntivite

  • Coceira;
  • Intolerância à luz – Fotofobia;
  • Vermelhidão;
  • Olhos lacrimejantes;
  • Pálpebras inchadas;
  • Pálpebras grudadas ao acordar;
  • Secreção purulenta (conjuntivite bacteriana);
  • Sensação de areia ou de ciscos nos olhos;
  • Secreção esbranquiçada (conjuntivite viral);
  • Visão borrada ou embaçada;

Prevenção

  • Não compartilhe maquiagem de outras pessoas;
  • Não compartilhe toalhas;
  • Lave as mãos com frequência e não coloque-as nos olhos;Use óculos de mergulho para nadar;
  • Use sempre óculos de proteção se for necessário no seu trabalho;
  • Não use remédios sem prescrição médica;
  • Evite nadar em piscinas sem cloro ou em lagos.

Tratamento

Não existe um tratamento específico para conjuntivite provocada por vírus.
O que se pode fazer é usar algumas táticas para diminuir os sintomas e o desconforto, até que seu sistema imunológico elimine a ameaça viral.
O soro fisiológico gelado e compressas nos olhos ajuda muito, limpar os olhos e as pálpebras com frequência, ou ainda, usar colírios lubrificantes e lágrimas artificiais.